A criação da Paróquia São Roque ocorreu em 1985. Sua história, porém, remonta à primeira metade do século passado. Entre 1920 e 1924, alastrava-se pela cidade de Jundiaí uma epidemia de varíola. O senhor João Iotti, filho de tradicional família católica e morador da região da Vila Progresso, começou a convidar pessoas para rezar, sabendo que São Roque era protetor contra a peste. Prometeu, então, construir uma igreja para o santo, caso a doença regredisse. O pedido foi atendido e a promessa foi cumprida, sendo construída uma pequena capela entre a Avenida São Paulo e a Rua Genaro de Carvalho. A imagem do santo veio de trem, de Campinas e, em procissão, foi levada até a capela.

Passados alguns anos, foi apresentado um projeto para a construção de uma praça na localidade onde se encontrava a capela. Os devotos de São Roque trabalharam para que a capela não deixasse de existir e encontraram, na família De Vecchi, os benfeitores que fizeram a doação de um terreno no local onde fora erguido um cruzeiro por ocasião da passem dos missionários redentoristas, no Ano Santo de 1950. A nova capela foi construída por volta de 1955, e, quatro anos depois, dom Rodolfo Ítalo Cherubini, OSB, que seria, em 1960, o primeiro pároco da Paróquia Nossa Senhora do Montenegro, começou a celebrar missas dli periodicamente.

No final da década de 1960, a capela já não comportava mais o número de fiéis. Foi formada, então, uma comissão de obras visando à construção de uma nova igreja, sendo realizada uma campanha para arrecadação de fundos. Antes porém era necessário comprar a área próxima e a escritura de todo o terreno saiu em 1971, quando, no início do mesmo, foi lançada a pedra fundamental e iniciada a construção. As obras pesadas foram até 1975 quando, em novembro ocorreu a inauguração com a presença do monsenhor Nelson Mesquita da Fonseca, então vigário geral. São desse período também os primeiros movimentos daquela que se tornaria a comunidade da Capela São Sebastião, que deu seus primeiros passos como um centro comunitário.

O antigo cruzeiro de madeira, que serviu de chamariz para o estabelecimento da comunidade naquele local, foi substituído, em 1977, por um novo, com estrutura de concreto e iluminação. A nova igreja, totalmente concluída, acolheu, no dia 6 de novembro, daquele mesmo ano, o bispo diocesano, dom Gabriel Paulino Bueno Couto, OC, que presidiu missa solene no novo edifício sagrado.

As celebrações, então, que já aconteciam com certa periodicidade, passaram a ser semanais. Continuavam dando a assistência necessária, os monges beneditinos valombrosanos, à frente da paróquia à qual pertencia a nova igreja. Com o crescimento da frequência de fiéis, iniciou-se estudos para a criação de uma nova paróquia na Diocese.
No dia 1º de maio de 1984 dom Roberto Pinarello de Almeida, segundo bispo diocesano de Jundiaí, criou a Quase-Paróquia São Roque, que foi elevada a paróquia no ano seguinte, no dia 26 de maio, e o padre Achille Francesco Marenghi, até então quase-pároco, tomou posse como primeiro pároco no dia 17 de agosto. Em 1988, toma posse o padre Paulo Toni Júnior. Dom Joaquim Wladimir Lopes Dias, atual bispo diocesano de Colatina, no estado de Espírito Santo, foi um dos párocos da Paróquia São Roque.

Empossado no dia 13 de janeiro deste ano, o padre João Estevão da Silva exerce hoje o ofício de pároco que conta com a colaboração dos diáconos Antonio Jesualdo Begiato (emérito) e Pedro Alves Moreira. Com Padre João chegou à Paróquia São Roque o seminarista Luís Gracio.

PÁROCOS:
Pe. Achille Francesco Marenghi (1984-1988)
Pe. Paulo Toni (1988-1994)
Pe. Jorge Demarchi (1994-1996)
Pe. José Luiz Nascibem (1996-1997)
Pe. Clóvis Wilson Fontenla (1997-2001)
Pe. Geraldo Ferreira Dias (2001-2003)
Pe. Genival Antonio Pessotto (2003-2009)
Pe. Joaquim Wladimir Lopes Dias (2009-2012)
Pe. Raimundo César Freitas Paiva (2012-2018)
Pe. João Estevão da Silva (atual)

Vigários paroquianos que fazem parte desta história:
Pe. José Carlos Edegar Ferrari
Pe. José Paulo de Almeida
Pe. Márcio Felipe de Souza Alves

Diáconos que fazem parte desta história
Diácono Antonio Jesualdo Begiato (emérito)
Diácono Pedro Alves Moreira (atual)
Diácono Sebastião Luiz Ferreira (falecido)

Comunidades:
São Roque (Matriz)
Nossa Senhora Aparecida (Vila Agrícola)
São Sebastião (Vila São Sebastião)